AÇÃO PRESENCIAL DA 25ª MOSTRA TIRADENTES MOVIMENTA A CIDADE HISTÓRICA EM CINCO DIAS DE PROGRAMAÇÃO INTENSA QUE LOTOU A PRAÇA PRINCIPAL DA CIDADE

Sessões de cinema, Mostrinha, shows musicais, apresentações de teatro, dança e circo, Cortejo das Artes, Turma do Pipoca e rádio CBMM ocuparam o Largo das Fôrras e entusiasmaram o público com o retorno à experiência artística coletiva e ao ar livre. Multiplicidade de linguagens e alcance popular marcaram o evento

A Mostra Tiradentes retornou à cidade histórica mineira para uma edição especial, dentro das celebrações das Bodas de Prata do maior evento do cinema brasileiro, iniciadas em janeiro, em formato digital. Em cinco dias, de 27 de abril a 1º de maio, a Ação Presencial envolveu a população de Tiradentes e região, além dos turistas, em uma programação festiva que reuniu mais de 10 mil espectadores para participar de apresentações artísticas gratuitas.

Foram exibidos 17 filmes brasileiros 5 longas e 12 curtas-metragens – organizados em 8 Sessões de Cinema e da Mostrinha, e dezenas de atrações artísticas em diversas linguagens: Exposição, Rodas de Conversa, Teatro de Rua, Cortejo da Arte, Brincadeiras com presença dos personagens da Turma do Pipoca, Show de Mágica, Intervenções Artísticas e Circenses, Performance, Lançamento de Livro, Videoarte e Ações Interativas da Rádio CBMM.

Para realizar essa programação cultural, 26 pessoas integraram a equipe de trabalho e mais de 60 empresas foram contratadas e prestaram serviços no evento, movimentando direta e indiretamente a economia nos setores da cultura, hotelaria, alimentação, transporte, comunicação e outros. Uma ação relevante na retomada do circuito artístico e da economia criativa neste ano de 2022.

“Foi uma celebração em dose dupla – 25 anos da Mostra Tiradentes e o retorno do evento presencial. Muito gratificante ver a praça cheia, as famílias reunidas, o convívio no espaço público, o cinema em diálogo com as outras artes. Uma programação que lotou as plateias, uma iniciativa que gerou empregos e renda, desenvolvimento social, humano e econômico” destacou Raquel Hallak, coordenadora geral da Mostra Tiradentes e diretora da Universo Produção.

LONGAS E CURTAS-METRAGENS

Na sessão de abertura, dia 27 de abril, após a recepção da Banda Ramalho e uma performance audiovisual, o público assistiu à comédia “A Sogra Perfeita”, dirigida por Cris D’Amato, e conversou com o ator Luís Navarro, ao lado do curador Francis Vogner dos Reis. O Cine-Praça recebeu, nas noites seguintes, a comédia romântica “Eduardo e Mônica”, dirigida por René Sampaio, com Alice Braga e Gabriel Leone dando vida aos personagens criados pelo compositor Renato Russo; e “Cabras da Peste”, de Vitor Brandt, com Edmilson Filho e Matheus Nachtergaele.

“Não Vamos Pagar Nada”, de João Fonseca, com Samantha Schmütz, encerrou o quarteto de comédias cariocas, seguido por bate-papo com o diretor e a curadora Lila Foster. No domingo, a telona exibiu a animação Tromba Trem – O Filme, dirigido por Zé Brandão, em sessão para toda família, com presença da Turma do Pipoca e do Palhaço Maizena.

Foram três sessões de curtas – Mostra Valores, Mostrinha e Curtas na Praça – que trouxeram visões de mundo plurais, desde a perspectiva imaginativa de crianças aos saberes populares tradicionais. Um recorte de produções audiovisuais que ofereceu ao público reflexão, emoção e diversão.

ATRAÇÕES ARTÍSTICAS

A conexão com as outras artes prevaleceu ao longo dos cinco dias de agenda diversificada, realizada em parceria com o Sesc em Minas. Não faltou animação diante de espetáculos que aliaram circo, teatro, música e dança. Uma intensa imersão nas múltiplas possibilidades do fazer artístico com apelo popular, o que contribui de modo significativo com o fomento às artes e a ampliação do acesso à cultura em Tiradentes e região.

VELHAS E NOVAS HISTÓRIAS

As apostas nas comédias e nas atividades artísticas para todas as idades garantiram a atração de um público bastante diverso, que lotou as plateias, riu, cantou junto, participou e se emocionou. Foi uma oportunidade para a cidade rememorar a história de 25 edições da Mostra de Cinema de Tiradentes com seus frequentadores mais antigos e apresentar o evento aos novos moradores e turistas, depois de dois anos sem atividades presenciais em consequência da pandemia de Covid 19.

Esta foi a estreia nas plateias de cinema da pequena Cecília, de 1 ano, moradora de São João Del Rei e filha de Camila Teixeira de Oliveira Coelho. A mãe, que desde criança era levada pelos pais para programações artísticas, agora faz o mesmo pela garotinha. “A gente estava sentindo muita falta de eventos culturais presenciais e eu quero que a Cecília aprenda e vivencie isso desde o primeiro ano de vida dela”, diz a mãe.

Condutor de charretes há 28 anos, Reginaldo Francisco de Paiva recorda-se da primeira edição. “Foi em 1998 e ocorreu na praça Largo das mercês. Eu acompanho a Mostra desde a primeira edição, com o filme ‘Central do Brasil’, e acho que 99% da cidade nunca tinha visto cinema. Foi emocionante, um dia especial. Naquele período chovia muito, o filme acontecendo, pediram para dar um intervalo na sessão, mas ninguém quis sair. Ficamos com água até quase os joelhos, mas terminamos de assistir ao ‘Central do Brasil’, que é um lindo filme. Nesses 25 anos, foram muitos filmes bonitos, bons, que acrescentaram não só à minha cultura, mas à de vários tiradentinos”, observa Paiva.

A Mostra também surpreendeu quem estava na cidade a passeio, com a satisfação fazer parte de um evento cultural novamente. “Sou de Belo Horizonte, já vim ao Festival Gastronômico, mas à Mostra de Cinema é a primeira vez, estou amando, é muito lindo”, comentou a turista Rosangela Tavares dos Santos. “Principalmente depois da pandemia, a sensação é de liberdade, de alegria, de estar aqui no meio das pessoas!”, empolgou-se

ARTE PELA ECONOMIA

Para comerciantes da região, a Mostra Tiradentes representou um respiro depois do longo período de restrição a eventos presenciais. “Esses dois anos foram frustrantes, a gente não esperava isso que aconteceu no Brasil e no mundo. Ver o povo de novo na praça, assistindo aos filmes, foi emocionante. Nesses 25 anos, é como se fosse a primeira edição exibida na praça de novo!”, comemora o condutor de charretes. “Aumenta o movimento nesse período da mostra e no decorrer do ano, pois abre as portas para o turismo. Estou muito satisfeito”, completa Paiva.

A avaliação é partilhada por outros trabalhadores e comerciantes do entorno do Largo das Fôrras. “Tem um aumento bem visível do turismo. As pessoas vêm para a Mostra e acabam gastando em hospedagem, alimentação e comprando [presentes] também para os amigos” observa José Trindade Xavier, do tradicional comércio Chico Doceiro, que notou a presença de público interessado não só em cinema, mas também nas outras artes, como teatro.  “Com certeza, tem reflexo na economia”, analisa.

“É a cultura da nossa cidade. A gente apoia muito esse evento. Nas nossas redes sociais foi divulgado bastante e teve bom resultado, 100% de ocupação”, conta Vitória Helena Gomes Dias, da pousada Mãe d’Água. “Ficamos felizes de ter o privilégio de [a programação na praça] ser em frente à nossa pousada, até porque os funcionários acabam interagindo e podendo participar também. Nós somos uma cidade histórica e até hoje muitos não fazem ideia da grandiosidade da cultura de Tiradentes. Então, a Mostra de Cinema é muito importante para os moradores”, acrescenta a capixaba, que já se considera cidadã tiradentina. “Quando mostro para o pessoal da minha cidade que Tiradentes tem esses eventos culturais, fica todo mundo doido, é realmente uma honra participar desses eventos aqui”, diz.

ÚLTIMAS

Endereço

Belo Horizonte – Minas Gerais

Apolo Sites © 2021 | Todos os direitos reservados.