Tribuna Livre: Diretor da Escola de Música Samba Preto fala sobre atuação do instituto

Durante a 76ª Reunião Ordinária de 2021, realizada nesta terça-feira (09), o Diretor e Fundador da Escola de Música e Casa de Arte Samba Preto Choro Jazz, Diego Fernandez, fez uso da Tribuna Livre, em atendimento ao Requerimento Nº 449/2021, do vereador Alex Brito (Cidadania), para falar sobre o funcionamento da Escola e relatar um pouco sobre suas conquistas e quebras de tabus.

Diego iniciou a apresentação contando sobre a história da Escola, ressaltando o objetivo do grupo em democratizar o acesso cultural à juventude negra. “Considerando os desafios enfrentados pelo povo negro, sobretudo a juventude, sua vulnerabilidade e pouco acesso ao ensino da arte, educação, saúde e lazer, e baseada nos pilares do movimento negro, jovens professores negros egressos do curso de música da UFOP e de outras escolas de arte fundaram, em 2015, a  Escola de Música e Casa de Arte Samba Preto Choro Jazz com a proposta de tornar mais acessível o ensino de arte para a juventude, democratizar o acesso a bens culturais, educação, lazer e cultura e fortalecer as heranças da ancestralidade negra”, explicou.

O Diretor da Escola apontou também sobre algumas ações realizadas através do projeto, como a inauguração da Kombatuque Sambapreto, em 2017, uma escola itinerante de arte e música representada por uma Kombi. “A Kombatuque foi restaurada pelos alunos e professores. Doou mais de 4 mil livros, mais de mil quilos de alimentos, roupas, brinquedos e ofereceu oficinas para mais de 500 crianças em um ano, percorrendo 2 mil kilômetros”, destacou.

Diego explicou que a Escola mantém-se através de mensalidades, oferecendo espaço para reuniões, recitais, palestras, ateliê e oficinas, além de desenvolver pesquisas nas áreas da arte, história, música, cultura, educação e política. A Escola conta com alunos de diversas idades e localidades do município, bem como de outros estados e países.

O vereador Alex Brito comentou sobre a importância da Escola para o município, no que tange o fomento à cultura para a juventude negra, que muitas vezes se encontra em situação de vulnerabilidade. “A praça onde fica a Escola, a praça Zé Mapa, é um lugar onde respira cultura e arte. Quem passa por lá consegue ver os carros maravilhosos, têm vários carros antigos. E as pessoas sempre escutam música boa e de qualidade. Então, é isso que precisamos para Ouro Preto, que é uma cidade que respira cultura. Precisamos fomentar a arte e a cultura sempre”, ressaltou.

Moção de Aplauso

Também durante a Reunião foi realizada a terceira entrega de Moções de Aplauso 2021. Os títulos foram entregues à pessoas e entidades que realizam relevantes serviços em prol do desenvolvimento de Ouro Preto.

Homenageados:

Vereador Reginaldo do Tavico:

– Rosana Aparecida

– Clayton José Dias

Vereador Renato Zoroastro:

– Gabriel Henrique

– Unidos Futebol Clube

Vereadora Lilian França:

– Lúcia Mota

– André Geraldo Oliveira de Miranda

Vereador Zé do Binga

– José Neri Cardoso Viana

– Tânia Cristina de Souza Barbosa

– Eder Hiroo Nakamura

Vereador Naercio Ferreira:

– Empresa Hindalco Brasil

– Edésio Reis

– Jakson Lúcio Fagundes

– Guilherme de Jesus

– Deolinda Alice dos Santos

– Elaine Maria Araújo Sales

– Edinéia Carla Peixoto Guimarães

Vereador Alex Brito:

– Alda Gualberto

– Silva Viana Ferreira (Dona Cici)

Vereador Matheus Pacheco:

– Mauro Francisco de Souza Silva

– Associação de moradores de Lavras Novas

– Santa Casa de Misericórdia de Ouro Preto

– Grupo Marias Pretas

Vereador Vander Leitoa:

– Euvira Queiroz

Vereador Luiz Gonzaga:

– Alunos do curso de medicina

– Guarda Civil

– Paulo Sérgio Brandão

– Natália Dias de Almeida Costa

– Maria Aparecida da Silva

– Júlia Lessa Cotta

– Paula Mariana Batista

– Jonathan de Jesus Silva

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google

ÚLTIMAS

Endereço

Belo Horizonte – Minas Gerais

Apolo Sites © 2021 | Todos os direitos reservados.